Conhecendo as Árvores Sagradas!


Quem nos subalternisa e nos escraviza são os mesmos que se aproveitam da nossa desqualificação perante ao conhecimento de nossas proprias tradições e história. Somos todos herdeiros de uma imensa catástrofe humana (a escravidão) e o que nos restou foi viver como sobreviventes tentando ainda nos recompor de tantos traumas. Isso nos dificulta evidentemente de superar certas pautas.

Mas isso tudo não nos impede de qualificarmo-nos intelectualmente para combater este processo racista histórico. Se nós mesmos não sabemos nossa história, fica dificil dialogar com o mundo! Temos que nos preocupar sim com aprender o que infelizmente dentro dos terreiros não conseguimos ter acesso. Estudar e ocupar os espaços de poder faz parte de nossa estratégia para superar nossos traumas. Devemos nos jogar no campo da disputa acadêmica. Quem tem que falar sobre nossa religião somos nós mesmos, não supostos pesquisadores incipientes e racistas de fora. A academia é racista, mas podemos reverter isso com a nossa comprometida participação nela.

Acordai Povo da Jurema e de terreiro em geral. Já é tempo de assumirmos nosso verdadeiro lugar na sociedade.

Lembro que devemos sempre partir do pressuposto da descolonização. Caso contrário não adianta ser acadêmico e fazer mais do mesmo e replicar a lógica dominadora e racista das instituições e currículos ocidentalizadas e cristianizados.

Na foto, estou aos pes de um grande Pé de Angico, árvore sagrada do panteão fitocêntrico da Jurema. De sua madeira fazemos nossos cachimbos de ciência. Das cascas, remédios diversos. Das folhas curamos e benzemos. Das raizes fazemos chás e bebidas. Ela é uma cidade da Jurema muito importante.

Para mim é um orgulho hoje ter aprendido como reconhecer um verdadeiro angico e saber de sua força no sertão. Juremeiro que não tem intimidade com a natureza não é juremeiro. Ser juremeiro é essencialmente saber das coisas da natureza.

"Angico, meu angico, pau de força e de luz. Daí saber aos senhores mestres, na santa paz de "Jesus""!

Foto de José Edson.
Conhecendo as Árvores Sagradas! Conhecendo as Árvores Sagradas! Reviewed by OGAM MARIANO DE XANGÔ on março 19, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

O QUE SÃO OGÃNS?

O QUE SÃO OGÃNS?
Ser Ogam é muito mais do que ser aquela pessoa no fundo do Terreiro, tocando pontos para as entidades, médiuns e assistentes. Ser Ogam é participar de forma efetiva e consciente nos trabalhos. Isso exige conhecimento, humildade, concentração, responsabilidade, mediunidade e amor. O Ogam é o responsável pelo canto, pelo toque, pela sustentação, pela parte física e equilíbrio harmônico dos rituais. Diferente do que muita gente pensa, um Ogam pode incorporar, porém, a sua mediunidade manifesta-se normalmente, de forma diferente do restante do corpo mediúnico. Manifesta, principalmente, através da intuição, das suas mãos, braços e cordas vocais. Os atabaques, quando devidamente consagrados e ativados pelos Ogãns, são verdadeiros instrumentos de auxílio espiritual, pois são capazes de canalizar, concentrar e irradiar energias que tanto podem ser movimentadas pelo próprio Ogam como pelas entidades de trabalho para os mais diversos fins

Juntos Somos Mais Forte!

Alguns textos, poemas e fotos foram retirados de variados
sites, caso alguém reconheça algo como sua criação e não
tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.
''A intenção deste blog não é de plágio, mas sim de espalhar conhecimento e manter viva a nossa historia"

Ass: Mariano de Xangó
mariano_xango@yahoo.com

Quero fazer um pedido para vocês que se conectam com o nosso Blog.
Deixem seus comentários, pedidos e opiniões para que nosso blog fiquem cada vez mais atualizado para você, com bastante conteúdo quero que vocês nós ajudem,

E vocês de Axé se quiserem postar uma cantiga também será bem recebido.

Vamos fazer do blog um lugar informativo ao povo de Axé.
Obrigado!!!
e Axé a todos!!!!

Oração a Pai Xangó

Blogger news